Flores de Julho – Styrax ferrugineus

Entre os meses de maio e julho, as simpáticas e cheirosas flores do Styrax ferrugineus desabrocham para o mundo. Com sua delicadeza e seu aroma delicioso, essas flores de cara ganharam seu lugar entre as minhas favoritas!

Image

Flores do Styrax ferrugineus. Foto tirada em 02/Julho de 2012 em São Carlos (SP)

 

O Styrax ferrugineus, também conhecido como laranjinha do cerrado – por conta da aparência e do cheiro de suas flores – é uma árvore que vive nos cerrados brasileiros. Sua distribuição vai desde as terras maranhenses, ao norte, até o estado do Paraná, ao sul: no meio do ano, as pétalas brancas do Styrax perfumam os ares de grande parte do Brasil.

Várias aves, como o topetinho-vermelho da foto, apreciam o néctar do Styrax

 

As flores apresentam cinco pétalas, e os grandes estames amarelos produzem muito pólen. Beija-flores e abelhas e disputam pelo néctar das flores, que se apresenta em abundância e pode ser usado para a produção de mel. Enquanto procuram por alimento, esses animais podem acabar promovendo a polinização do Styrax ferrugineus.

Abelhas consomem o pólen e o néctar do Styrax, e podem ser as polinizadores dessa espécie de planta.

 

O tronco do Styrax produz uma resina aromática que é usada como incenso em cerimônias religiosas. Existem relatos de que essa planta pode ter propriedades medicinais contra alergias, febres e como antisséptica.

Essas foram algumas informações sobre esta que é uma das minhas árvores do cerrado favoritas! Espero que tenham gostado dela também!

.

Carol

Flores de Junho – Tibouchina mutabilis

Manacá da serra…

Com um nome tão singelo, já podemos imaginar a beleza dessa planta. Por sua floração deslumbrante e tamanho pequeno, a variedade anã do manacá da serra é bem comum em calçadas e jardins das cidades brasileiras, onde floresce nos meses secos do meio do ano. Um pouco de atenção e com certeza você vai encontrar uma arvorezinha carregada de flores brancas e lilases, agraciando as ruas de seu bairro.

O manacá da serra, espécie muito usada na arborização urbana

Por ser bem maior, a variedade normal dessa espécie não é muito usado no paisagismo e, ao contrário das plantas anãs, ela floresce nos meses chuvosos do ano.

O manacá da serra é muito próximo de outra planta que já conhecemos aqui no Blog, a quaresmeira. Tanto o manacá da serra quanto as espécies de quaresmeiras pertencem ao mesmo gênero, Tibouchina. Isso quer dizer que elas são bem aparentadas.

Image

O manacá da serra é uma planta aparentada à quaresmeira. Ambas pertencem à família Melastomataceae e ao gênero Tibouchina.

Mas existe uma diferença que salta aos olhos quando comparamos um manacá da serra com uma quaresmeira: as flores das primeiras mudam de cor conforme amadurecem! Logo que seus botões abrem, suas cinco pétalas são alvas; mas com o passar dos dias, elas se tornam lilases. O efeito é uma delicada combinação de cores, uma árvore que mais parece um buquê de flores vivo.

Image

As cores das flores variam entre o branco e o lilás.

.

Carol